quarta-feira, 27 de maio de 2009

As faces da Teologia

O que pensam os membros comuns de nossas igrejas sobre a Teologia e sobre os teólogos profissionais?
Se pudéssemos entrevistar nossos amados irmãos, nos surpreenderíamos em saber o quão temido são os teólogos. Sem saber que estes também fazem teologia, nossos irmãos, aconselhariam, até mesmo, o distanciamento de tal ciência.
E numa tentativa arriscada, poderíamos, então causar uma grande confusão, ao afirmarmos que o mesmo cristão, tão severamente, contra a teologia, na verdade, também o é. Sim, os crentes comuns de nossas igrejas, ou constroem ou seguem a teologia popular ou a leiga.
Temos então três níveis de teologia, mas ainda faltam dois. No universo da reflexão cristã, existem pelo menos cinco estágios da teologia. Nesse pensar formal, a teologia surge como a fé em busca do conhecimento de Deus e de Sua Palavra. A teologia se apresenta como uma reflexão, com cinco níveis: A Teologia Popular, Teologia Leiga, Teologia Ministerial, Teologia Profissional e Teologia Acadêmica.

Teologia Popular
Sem nenhuma instrução teológica formal, crentes de várias épocas e denominações diferentes baseiam sua fé em crenças e práticas que foram formadas por meio de lendas e clichês. Tais clichês e lendas, conhecidos também por “ evangelendas” são construídas por pessoas, consideradas pelas massas, muito espirituais, e suas novidades também soam sempre muito espirituais. E se algum cristão tentar examinar a autenticidade bíblica de tais afirmações ou práticas, corre o risco de ser chamado de “carnal’. Obviamente que tal rótulo nunca será aceito na comunidade cristã.
Se tais crenças leva à um frenezi ou êxtase , dito espiritual, então esta é aceita e propagada
Porque qualificar essa fé cega, ingênua e nociva de teologia? Pelo simples fato de responder às questões fundamentais sobre a vida e por elaborar a crença e a vivência da fé cristã. E quais benefícios a Teologia Popular traz para a fé reflexiva? Pelo fato de teólogos leigos, ministeriais e profissionais, aprenderem dobre os anseios e necessidades das massas, e a partir daí, planejar e construir uma teologia que atenda às suas necessidades e que traga respostas coerentes às questões da vida, de Deus e da fé.

Teologia Leiga
A teologia leiga surge quando o cristão comum começa a refletir e questionar os clichês e as lendas da teologia popular, na tentativa de examinar e entender a sua fé. Para a teologia popular essa atitude reflete a diminuição da espiritualidade, quando na realidade o teólogo leigo ajuda a comunidade cristã a rever as suas ações e crenças, e ter uma fé mais madura e racional.

Teologia Ministerial
Através do estudo formal, do conhecimento básico dos idiomas bíblicos e no uso de concordâncias e comentários, os ministros, professores de EBD, pregadores e evangelistas, passam a construir e fazer parte da teologia ministerial.
Tal teologia é mais avança que a leiga pois formaliza a reflexão levando o cristão a um nível melhor.


Teologia Profissional
É preciso que haja uma fonte que supra as necessidades reflexivas tanto do teólogo leigo quanto do teólogo ministerial. Tais fontes são os seminários teológicos, os livros e os artigos que trazem informações concisas e coerentes para os ministros e leigos de nossas igrejas.
Quem proporciona todo esse aparato é o teólogo profissional. Portanto, teologia profissional é um instrumento que serve à comunidade cristã, fazendo com que os seus membros e obreiros possam pensar como Cristo.

Teologia Acadêmica
Chegamos, portanto, ao quinto nível da teologia, se de um extremo temos a teologia popular com sua cegueira reflexiva, no outro extremo temos a teologia acadêmica que não se preocupa com as dúvidas e incertezas do cristão comum.
A teologia acadêmica preocupa-se basicamente na especulação e na filosofia, do que com a vida cristã autêntica. Seu interesse exclusivo pela reflexão muitas vezes pode afastá-lo da fé, pois seus teólogos estão mais interessados no que pensam sobre Deus, do que no próprio Deus. Teólogos profissionais podem se beneficiar com os ensinos da teologia acadêmica, sobretudo, esta teologia pouco ou nada tem para beneficiar a igreja e os cristãos comuns.

Conclusão
Sabedores dos diferentes níveis da teologia, o estudante de teologia deverá se colocar à disposição da comunidade cristã. Uma pergunta é pertinente. Qual é o objetivo do estudo reflexivo e sistemático da teologia?
O objetivo do Senhor Jesus Cristo, é que a reflexão conduza o seu povo até a Sua Pessoa, até o Seu conhecimento.
Enquanto teólogos, que possamos alcançar a teologia profissional sempre com o intuito de servir, atentos à teologia popular, para que possamos dar luz à comunidade cristã e treinar os leigos e ministros nos seus ofícios eclesiásticos e ainda, reter o que de útil a teologia acadêmica pode oferecer.
Mas fundamentalmente, estarmos sempre, custe o que custar, no centro da vontade de Deus.

3 comentários:

  1. Maravilhosoooooooooooooooooooooooooooo!!!!!. Amei Adriana, que Deus continue te dando a direção para essa missão que Ele tem colocado em suas mãos, e também esse amor pelo Nordeste. Adorei o estudo e também o vídeo. Muito bom mesmo. A Paz minha amada irmã e amiga. Bejos!!!

    ResponderExcluir
  2. Bom... Estou elaborando um módulo (iniciação) para um curso de teologia e, estudando sobre os 5 níveis de teologia me encontrei aqui.. Muito bom...

    ResponderExcluir
  3. Adriana, gostaria de saber qual é sua fonte de pesquisa para a apresentação dos níveis acima. Obrigada.

    ResponderExcluir